sexta-feira, 8 de março de 2013

Dia das Mulheres- Moda é escolha.

Por Mariah Silvestre


Hoje é um dia mega especial! 


Especial por quê hoje, dentre todos os dias do ano, nós, mulheres, paramos pra nos olharmos de dentro pra fora e de fora pra dentro. Com olhos de quem sabe que já conquistou muita coisa e ainda tem muita coisa a conquistar.

Acho, sinceramente, que essa data requer mesmo, um tiquinho de informação para que você possa se conscientizar dos ocorridos e poder criar sua própria opinião a partir daí.

Tem um texto ótimo, muito bem resumido, que esclarece de maneira bastante ampla alguns fatos e dos períodos históricos que alicerçaram nossa sociedade atual e como ela enxerga a mulher. Obviamente, tais transformações nos agraciaram com expressões maravilhosas na sociedade e na moda ( a parte mais legal!) 

Texto: "A escolha do dia 8 de março como o Dia Internacional da Mulher não deriva de um acontecimento isolado, mas sim de um contexto histórico e muito mais amplo. A idéia mais difundida é de que a data seria uma homenagem a operárias norte-americanas que, durante uma greve, foram trancadas na fábrica onde trabalhavam e morreram queimadas em um incêndio provocado pelos patrões. Outra hipótese refere-se a uma manifestação das operárias do setor têxtil nova-iorquino ocorrida nesse dia do ano de 1857.
Entretanto, a origem do Dia Internacional da Mulher insere-se em um contexto histórico e ideológico muito concreto, cujo objetivo, em seu começo, não foi rememorar nenhuma catástrofe que vitimou um grande número de mulheres. O texto da resolução adotada pela II Conferência Internacional de Mulheres Socialistas, realizada em Copenhague em 1910, vem confirmar que nem se fazia alusão a nenhum acontecimento protagonizado por operárias que devesse ser comemorado com a celebração do Dia Internacional da Mulher, nem sequer se propunha uma data concreta em que esta devesse acontecer.
Sua origem tem de ser compreendida em meio a ascensão das lutas operárias de finais do século XIX e início do século XX, cujas discussões teóricas, no campo socialista, convocavam à participação política e em cujo contexto tomava corpo a luta pela libertação da mulher. A partir de começos do século XX, essa batalha das socialistas se cruzou com a de um punhado de mulheres independentes, em sua maioria pertencentes à classe média ou alta, que estavam em campanha pelo direito ao voto.
Nos primeiros anos, o Dia Internacional da Mulher era festejado em datas diferentes, segundo os países..."
Fonte: http://mulher.terra.com.br/noticias/0,,OI908078-EI1377,00-De+onde+veio+a+data+de+marco.html

Eu adoraria começar a discorrer aqui sobre ter sido escolhido, justamente, o dia 8 de março para a comemoração...  Heil Hitler! Ops, Hi Tio Sam! Ops. Fico confusa com tantos ditadores. Mas eu quero mais é falar de coisas boas e as décadas de 1950 e 1960 são excitantes de mais pra eu resistir, além disso, o blog é sobre moda! \o/


Depois das guerras das décadas de 1910, 20 e 40 e com o fim da escassez de materiais para confecção de cosméticos houve um verdadeiro BUM de uma infinidade de lançamentos de produtos de make.

Os olhos passaram a ser marcados, a pele pálida e os lábios bem realçados. O "New Look", (amor da minha vida) criado por Christian Dior, marcava a cintura, com direito a sapatos altos e luvas, acessórios luxuosos como jóias e peles. Bem diferente da silhueta tubular almejada desde os anos 1920 ( presentinho de Coco Chanel).


A beleza feminina é marcada por duas correntes distintas e complementares que, na verdade, é o que garante o deslumbre dessa década tão produtiva para a moda mundial.


Ingênua e chique:


Grace Kelly
Naturalidade jovial e estilo sensual e fatal:

Audrey Hepburn

Agora misturem as duas correntes e você descobre a devastadora combinação de ingenuidade e sensualidade. Qual é meninas? Todas nós sabemos que essa combinação é fatal.  E nascem as pin-ups e os padrões de beleza como Marilyn Monroe e Brigitte Bardot.

Brigitte Bardot

Marilyn Monroe

A moda jovem ganhou enorme importancia e expressão. O rock'n roll firmou as saias rodadas, as cigarretes até os tornozelos, os sapatos baixos, suéters e o jeans! ( we loved it!)






No fim da década de de 1950 a sociedade está se reestruturando. A mulher que teve que trabalhar no período das guerras não suporta ter que voltar ao papel que desempenhava antes das guerras e quer independência. Quer direito ao voto, quer modernidade.


Na década seguinte, 1960, o filme "Bonequinha de luxo" é o fime mais marcante e lança o pretinho básico ( look mais democrático até hoje!) 






A chegada do homem à Lua e a descoberta de novos materiais que permitiram aos designers  novas peças de vestuário como as placas laminadoas e o sintético prateado.
Os cortes agora são retos, as minissaias chegam pra ficar e os looks ganham um ar futurista.






Amo anos 1960! Qual dessas peças vocês não usariam hoje? Pois é, são clássicos!

O que fica desse post especial, além da noção básicas da moda das duas décadas é a luta das mulheres desse período por liberdade, e liberdade é escolha! 
Hoje ainda sofremos para sermos livres, ainda temos que lutar para termos o direito de escolher nossas roupas e não ser escolhidas por elas.
Vivemos um período histórico de quebra de padrão de beleza, chegamos pra ficar e mostrar que bonito é ser saudável, bonito é sermos como somos. Grandes e pequenas, magrinhas, magras, gordinhas e gordonas.

A idéia não é fazer apologia à obesidade ou à anorexia. A idéia é termos o direito de sermos como quisermos, como nossa saúde permitir. Nada justo para o estilista e para o modelista, eu concordo, mas a consumidora final sou eu e eu tenho direito de ser como eu quiser! 
A moda deve mudar para que todas nós tenhamos liberdade, para que todas nós tenhamos escolha.

É isso, bonitas! Feliz Dia das Mulheres!

(Sim, concordo que o post ficou grande mas hoje é um dia especial... não pude evitar, sorry.)


Otimo fds, bjoks!